Max Payne 1 e 2 Ramake pode ser tão bugado quanto GTA Trilogy

Max Payne 1 e 2 Ramake pode ser tão bugado quanto GTA Trilogy

Eu tô sabendo que Max Payne 1 e 2 vão ganhar um Remake, a Remedy vai desenvolver e a Rockstar vai pagar essa conta.

Segundo o que diz a Remedy, a Rockstar está desembolsando uma quantia alta para construir Max Payne 1 & 2 Remake em alta qualidade para os consoles da nova geração e para PC. Essa grana seria na casa dos milhões, um orçamento comum de um game triplo A.

Para a construção desse remake, que não ficou claro até o momento se será dividido em dois, está sendo utilizado o motor gráfico Northlight Storytelling, o mesmo de Control, Quantum Break, CrossFire.

Esse motor gráfico oferece o necessário para a criação de jogos em altíssima qualidade, digno de um triplo A. Inclui também a possibilidade de fazer capturas de movimentos faciais com tecnologia proprietária e os recursos necessários para fazer algo atual.

No entanto, fica a dúvida se este remake de Max Payne 1 & 2 desenvolvido pela Remedy com financiamento da Rockstar vai trazer o nível de detalhes de Control e Quantum Break. Isso porque quando falamos hoje de um projeto em que a Rockstar está envolvida as pessoas lembram do trauma mais recente: GTA Trilogy. O jogo chegou com muitos bugs e por um valor altíssimo.

Será que podemos esperar algo do tipo? E se sim, como podemos nos antecipar a esses acontecimentos e aguardar pelo jogo? Que tipo de expectativas podemos criar? Nesse vídeo eu comento melhor quais eu acredito que são os desdobramentos deste anúncio e compartilho também minhas ideias sobre uma das minhas franquias favoritas do mundo dos jogos; Max Payne.

Max Payne Remake muito mais chato

Antes de a gente conversar sobre as dúvidas de Max Payne 1 e 2 Remake, deixa-me compartilhar algumas certezas que tenho sobre os jogos originais de Max Payne. O ponto principal está neste gráfico que eu criei para explicar um ponto extremamente simples: quanto mais recursos temos, mais alguns jogos ficam mais chatos.

Dessa forma, acredito que Max Payne 2 segue um certo equilíbrio na forma como foi feito, incluindo recursos interessantes sem mirar em ser ultra realista ou algo do tipo.

Os jogos estão ficando chatos. Certamente não todos, mas um bom número deles estão sendo contaminados por uma busca incansável pela imitação do real. Muitos jogos esquecem de um elemento importante que faz com que sejam aclamados pelo público ao serem jogados.

Isso faz com que alguns games aparentemente bobos consigam destaque. Fall Guys, Among Us e tantos outros jogos que não trazem gráficos incríveis e mecânicas surpreendentes acabam roubando a cena de tempo em tempo. E esses mesmos games não são feitos com um orçamento grande, muito pelo contrário.

E isso se dá ao simples fato de que os jogos precisam ser divertidos.

Sendo assim, meus amigos. Basicamente, muitos jogos focaram em ser realistas e esqueceram de ser realistas. De trazer o elemento arcade, o elemento diversão pura.

De Max Payne 1 ao Max Payne 3, eu senti o elemento diversão diminuindo em quantidade, e explico por quê.

Na vida real você não tem câmera lenta, você não se move rapidamente, toma bala e tá tudo certo. E este é justamente o ponto legal, os destaques de Max Payne como jogo, fazer com facilidade coisas que não poderia fazer na vida real. é um jogo mentiroso no aspecto mais simples de ação. Pelo mesmo motivo que vemos filmes de ação como Duro de matar e outros do tipo serem tão contemplados. É da hora ver coisas explodindo imaginando ação e adrenalina.

E é como se em Max Payne 3 essa dose fosse reduzida em relação aos jogos anteriores. Boa parte disso que tô falando tem relação com a movimentação do personagem, que foi extremamente engessada para passar mais realismo. Ficou mais pesado se movimentar com o protagonista. Foram acrescentados atrasos grandes entre cada animação para dar um aspecto mais realista. O jogo poderia ter seguido outro caminho, em que mantinha a movimentação menos realista e mais mentirosa, seguindo mais a premissa dos primeiros games, mas mirou em entregar algo que se leva a sério demais. Fugiu da essência do segundo jogo e ainda mais do primeiro.

Para quem veio do segundo jogo e pegou o terceiro sentiu isso e com certeza estranhou.

Os jogos antigos trazem uma movimentação muito mais leve, simples e gostosa. Ainda hoje acho muito mais divertido jogar o segundo título que o terceiro, mesmo com a quantidade de recursos disponíveis para fazer o mais recente.

E não quer dizer que o mais atual seja ruim. Não mesmo, porque ele é um baita jogo, já fechei ele duas vezes, inclusive. É só uma questão técnica e uma análise de escolhas, acredito que ele poderia ser melhor se fosse mais divertido levando em consideração esses aspectos mencionados.

Com o tempo, boa parte da indústria esquece das coisas simples pra tentar coisas mais complexas e esquece que o que já foi descoberto pode ser divertido. O simples fato de você poder interagir com tudo em Max Payne 2 me deixa feliz de uma maneira única.

Objetos simulando física e outros detalhes que hoje os desenvolvedores acham simples ainda continuam incríveis.

É por isso que Gmod consegue ser tão divertido, por exemplo. São mecânicas velhas e que realmente não precisam estar em 4K pra convencer ninguém.

E tudo isso tem relação com o fator novidade ou algo do tipo, por isso muitos jogos indies conseguem fazer coisas diferentes e incríveis, enquanto estúdios que têm muita grana fazem mais do mesmo.

Dessa forma, o primeiro Max Payne teve muito desse elemento descoberta. Se você assistir o making of da Remedy do primeiro Max Payne você vai sentir isso que tô falando.

Pareceu divertido o desenvolvimento do jogo. Hoje quando falamos de desenvolvimento de jogo triplo A é basicamente os times de desenvolvimento reclamando que estão tendo que fazer coisas absurdas em pouquíssimo tempo e próximo do lançamento estão quase morrendo de tanto trabalhar.

Não era um mar de flores antes, mas sem dúvida o ritmo de produção era outro.

Antes vivíamos um ritmo muito mais saudável de consumo de qualquer mídia de entretenimento. Antes saía um filme incrível de tempo em tempo, todo mundo assistia e comentava. 

Hoje é possível que sejam lançados vários filmes, séries, jogos, todos de orçamento alto, ao mesmo tempo, todo mês. E isso porque nós temos um ritmo acelerado e há mais pessoas produzindo.

Mas são outros tempos. Isso também aconteceu no YouTube. Alguns criadores de conteúdo da primeira geração simplesmente não conseguiu se adapatar ao novo ritmo. Aconteceu uuma mudança gigante na forma como nós consumimos as coisas e os videogames também entraram nisso.

Max Payne 1 contou com pessoas da produção como personagens, foi feito em cartoon por limitações técnicas e respeito a uma estética que se perdeu no jogo mais recente.

A industria mainstream ficou tão cega em criar realismo e mecânicas incríveis que em alguns casos entregou apenas realismo.

Eu acredito que The Last of Us II é um exemplo de jogo que deixou de lado a diversão da forma mais pura nos jogos que a gente conhecia. Ele mirou em entreter seus jogadores com imersão. E isso certamente decepcionou muitos jogadores.

Você tem que saber que dependendo de suas escolhas e do produto que você entrega essa será a reação que você vai ter.

E eu também senti Red Dead 2 perfeito demais, mesmo em cenas de diversão. É difícil explicar e eu não sei se outras pessoas têm esse pensamento exato que eu tenho quanto à movimentação do personagem, ao realismo e a forma como a história é contada.

E ter muitos detalhes não é o que deixa o jogo menos da hora, isso na verdade é legal. O que deixa o jogo limitado é escolher uma altura muito realista para dano de queda, movimentação engessada ou descontar muito dano para coisas que você realmente se ferraria se fosse na vida real. Você joga videogame para fazer coisas que não consegue fazer na vida real, se você limita o jogador o game fica menos divertido.

E é estranho falar e explicar isso porque eu realmente curti Red Dead. Só que em alguns momentos senti isso que eu tô falando. Espero que eu não pareça um maluco tentando explicar esses pontos?

Às vezes eu gostaria que o laço do Arthur fosse atirado mais rápido porque foda-se, na vida real demora para conseguir laçar, mas no jogo eu gostaria que fosse diferente, porque é pra isso que eu jogo videogame.

Saca?

Qual será o nível de realismo do remake?

Dependendo do empenho que a Remedy vai colocar em Max Payne 1 e 2 ela pode entregar cenários realistas e criar uma ambientação sensacional.

Mas aqui começam a surgir as dúvidas sobre esse remake e eu tenho algumas observações para fazer como fã da série Max Payne e também de jogos em geral.

Todo mundo viu que GTA Trilogy chegou cagado. E a lógica do jogo ficou bem clara para quem desenvolve: a Rockstar quis investir pouquíssimo e fazer grana em cima de uma franquia de sucesso absoluto.

Teve até erro de tradução das texturas, tradução que foi feita por inteligência artificial, WTF.

Como se a empresa não tivesse como colocar um funcionário para fazer isso. Mas claro, a margem de lucro precisa ser o mais alta possível, então vamos correr esse risco e com sorte ninguém vai perceber.

Mas o que tá rolando. Por que um Remake? Qual é a de fazer um remake?

Esta é a mesma estratégia que estamos vendo no cinema, em vez de meter algo original, vale mais a pena apelar pra histórias que eles já sabem que as pessoas tendem a gostar e no caminho tentar conseguir um novo público. 

Mesmo com bugs da nova trilogia, GTA San Andreas, Vice City e Liberty City, são jogos que trazem histórias boas, personagens cativantes e vão continuar funcionando, em menor ou maior escala.

E isso pega uma fatia grande de público. Tem uma chance alta de agradar dois públicos; quem curtiu jogar quando era mais novo e quem não conhecia a história.

Porque o jogo é basicamente o mesmo, apesar dos bugs e errinhos. E na pior das hipóteses ainda adiciona algumas melhorias.

A verdade é que mesmo com a choradeira do lançamento da nova trilogia do GTA, a Rockstar não saiu no prejuízo. Não importa o quanto as pessoas ficaram insatisfeitas, os veículos de mídia tenham noticiado… A fatia de lucro da Rockstar é tão grande em cima desse tipo de lançamento que mesmo prometendo dinheiro de volta ela fez grana.

Porque ela sabia que a trilogia funciona! Foi assim que ela construiu seu império. 

E pergunta se essa galera que reclamou da trilogia não vai jogar GTA VI. É claro que vai! Então, no fim, a Rockstar dá a mínima e vai continuar fazendo esse tipo de estratégia.

Essas empresas são simplesmente grande demais. Mesmo que elas fiquem com má fama com o público mais ligado, isso só faz ruído na popularidade dela.

Mesmo Cyberpunk 2077, que foi considerado o maior fiasco da história moderna não é o último prego do caixão da CDPR. Ela vai continuar aí e, com sorte, vai entregar coisas melhores da próxima vez.

E mesmo com a porrada de bugs tem gente que curte o jogo, que continua botando fé no game e o estúdio desenvolvedor certamente vê chances de conseguir entregar um resultado que seja satisfatório no fim das contas.

Vale lembrar aqui que a maioria das pessoas só joga. Não fica lendo notícias sobre games, não fica super ligado no que tá acontecendo. Tem gente que nem lê nada sobre o jogo mesmo antes de comprar.

Porque é um mercado gigante demais.

E isso sem dúvida não quer dizer que não temos que reclamar e ficar de olho no que é feito. Mas de fato não dá pra dizer que transforma a indústria. É papo um complicado e eu também não sou o dono da verdade e de todas as respostas.

Max Payne 1 & 2 corre riscos

O que eu sei mesmo é que o Remake de Max Payne 1 & 2 pode acabar vindo na mesma ideia da trilogia GTA. Acabar parecendo um Remaster em vez de um Remake. Ou seja, trazer nada mais do que a comunidade de modders pode trazer.

Se forem além, a gente tem chance de ver um realismo muito doido nos games de Max Payne. E se mantiverem as mecânicas e não deixarem elas engessadas pode ser algo da hora.

Porque de fato, quando o jogo fica muito antigo as limitações técnicas começam a limitar a experiência de jogo e é isso que deve ser consertado em primeiro lugar. Suporte completo a controles, telas de resolução maior, tradução, dublagem, tudo isso pode deixar o game mais interessante e justificar uma nova versão.

E vale lembrar que nós tivemos dublagem em Português no primeiro jogo. Os astros se alinharam naquela época pra isso acontecer. Até hoje eu tento entender, mas enfim.

Este artigo não saiu exatamente como eu queria, porque minha vontade era falar muita coisa e acabei não indo tão fundo quanto gostaria. Mas acredito que no meio disso tudo eu consegui compartilhar algumas ideias que podem ser interessantes. Obrigado por ter chegado até aqui, espero que confira outros conteúdos meus aqui no site ou no canal no YouTube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *